agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
Blogs Adalberto Cunha Docente, Palestrante e Consultor; Biólogo pela UFSCar e Mestre em Meio Ambiente pela UNIARA, com experiências em empresas e docência
FALE COM O COLUNISTA:

Junho – mês da consciência ambiental

"Muitas cidades, mesmo de nossa região, considerada desenvolvida, ainda não fazem o tratamento correto da água"
Postado em: 30/05/2017 às 08:12
Autor: Adalberto Cunha

Junho é considerado o mês da conscientização ambiental. Dia 5 é chamado o dia mundial do meio ambiente. Neste mês são realizadas uma série de eventos, de ações pelo mundo todo, para divulgar as questões ambientais que afetam todo o planeta.

O meio ambiente é sem dúvida alguma o bem mais importante para a nossa vida no planeta. Desde que surgimos no planeta, temos necessidade vital de bens da natureza. Considero que a água é o bem mais vital para a vida. De todos os seres vivos. A água hoje é fundamental, não só para bebermos, mas plantarmos, realizarmos a agricultura, a criação de animais e até produzir energia elétrica, como é o caso do Brasil.

E o que estamos vendo é um descaso muito grande em vários locais com a água. Temos um grande desperdício desse recurso da natureza, que é finito. A água é tratada de forma errada, desde nossas casas, passando pelas empresas e o comércio e infelizmente, os órgãos governamentais, que tem o dever de cuidar desse bem.

Muitas cidades, mesmo de nossa região, considerada desenvolvida, ainda não fazem o tratamento correto da água, para ser consumida pelas pessoas e muito menos o tratamento do esgoto que saem de nossas casas. Daí temos um circulo vicioso, pois ao jogarmos esgoto nos rios estamos poluindo ainda mais, tornando essa água impropria para utilizarmos e as outras espécies também.

Observem que estou falando de um único recurso, a água. Mas poderíamos falar de vários outros que também tem papel fundamental para nossa vida. As matas, as florestas também são exemplos quanto a nossa dependência para a sobrevivência no planeta.

E desde o início de nossa civilização essa dependência é fundamental. Nos primórdios a necessidade de alimentos que as florestas forneciam, a proteção contra predadores, a sombra contra o calor insuportável.

Hoje temos um avanço muito grande da destruição das matas, das florestas. Em muitos casos se fala em necessidade para o nosso progresso. Mas será que realmente isso é verdade? Precisamos destruir áreas cada vez maiores para plantarmos ou fazermos pastagens?

Temos muitas tecnologias que podem ser uteis para podermos alimentar cada vez mais populações maiores (não podemos esquecer que somos mais de 7 bilhões de habitantes no planeta).

Não é saudosismo, mas a simples constatação que hoje há ferramentas tecnológicas e inovações que reduzem os impactos ao ambiente frente a nossas necessidades de alimentos. É preciso termos mais eficiência, mais tecnologias, para termos para hoje o alimento e que nossos filhos também tenham.

Por sinal, essa é a definição de sustentabilidade. Podermos usar hoje e deixarmos para nossos descendentes. E esse conceito serve para muitas áreas, muitas das nossas atividades, das mais simples, em nossas casas, até em complexos processos da indústria. É possível, temos muitos exemplos que é possível mas para isso ocorrer é necessário mudanças.

E mudanças não só de atitudes, mas de engajamento frente a empresas que destroem o ambiente, que causam problemas ambientais e sociais só visando o lucro imediato, sem pensar que teremos um amanhã e que somos nós que vamos cria-lo.

Lembre que junho é o mês da conscientização. Mas que são nos 12 meses que devemos ter atitudes de preservação, de economia dos recursos, de mudanças de posturas. Podemos começar com coisas simples, mas que podem fazer toda a diferença.

Vamos começar?

Relacionadas

Adalberto Cunha
Discussões sobre o clima global voltam à pauta
07/11/2017 às 07:05
Adalberto Cunha
A primavera está chegando
05/09/2017 às 14:17
Adalberto Cunha
Escrevendo sobre o acordo de Paris
20/06/2017 às 17:55

Blogs e colunas