agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
Blogs Raphael Pena É jornalista, atualmente responsável pela comunicação do SISMAR – Sindicato dos Servidores Municiais de Araraquara
FALE COM O COLUNISTA:

R$ 300 mil uma caixa de remédio: o SUS pagou

O Sistema Único de Saúde tem problemas, mas ele salva vidas a cada minuto Brasil a fora. Vamos lutar para melhorá-lo, não pelo seu fim
Postado em: 13/09/2018 às 16:32
Autor: Raphael Pena
R$ 300 mil uma caixa de remédio: o SUS pagou

O Brasil é o único País com mais de 100 milhões de habitantes que oferece saúde integral para todos, segundo depoimento do médico Drauzio Varela ao Fantástico no mês de julho de 2018. Isso não significa que o Sistema Único de Saúde (SUS) não tem problemas.

Eu quero aqui, entretanto, diante de tantas críticas, dar meu depoimento em defesa do SUS.

Minha mãe, aos seus 77 anos, descobriu que tinha hepatite C, provavelmente contraída há mais de 40 anos, durante uma transfusão de sangue pós parto, época em que esse vírus específico não era conhecido.

Todo o tratamento foi feito pelo SUS. O plano de saúde nem cobre. De acordo com o médico que a atendeu, o custo desse tratamento é altíssimo. Fui pesquisar e, na verdade, o custo é mais que altíssimo, é impagável. Só uma caixa de um dos remédios custa, pelo preço anunciado na internet, R$ 300 mil. Isso mesmo, trezentos mil reais, uma caixa de um dos remédios. O tratamento durou um ano.

Vários exames, medicamentos de alto custo, consultas e retornos. Minha mãe está livre do vírus.

Pouca ou nenhuma fila em todas as situações, inclusive na retirada dos medicamentos de alto custo. Tudo dentro da data, nada atrasou, nada deu errado. O atendimento no Serviço Especial de Saúde de Araraquara (SESA), da USP, foi espetacular. Pessoal extremamente educado, calmo e prestativo, ambiente limpo. Exemplar.

Que sirva de modelo para outras unidades. Agradeço, e recomendo que todos façam o mesmo, a todos os profissionais da Saúde pública do País, pois a realização do SUS é coletiva e salva vidas todos os dias.

O segundo caso foi com um amigo. Ele teve pancreatite aguda, gravíssimo. Sua família logo o internou em um hospital particular. Em pouco tempo, o médico chamou a mãe e disse: “Vou transferí-lo para o SUS. Caso contrário a senhora vai ficar pobre e ele vai morrer.” Meu amigo foi transferido e conseguiu se recuperar.

Apenas dois exemplos para ajudar a formar a opinião das pessoas a respeito desse direito tão importante, que é a saúde universal, para todos, sem distinção. Que orgulho de ter o SUS.

A sociedade precisa lutar por melhorias e avanços no SUS e não para acabar com ele.