agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
Cultura
FALE COM A REDAÇÃO:

Exposição de Evandro Nicolau percorre 18 anos de sua carreira

“Tradicionalidades e Contemporaneidades” pode ser conferida até o próximo dia 08 na Casa da Cultura
Postado em: 31/05/2019 às 16:19
Autor: Redação
Exposição de Evandro Nicolau percorre 18 anos de sua carreira
Foto: Lucas Tannuri

No saguão térreo da Casa da Cultura Luís Antonio Martinez Corrêa, até o próximo dia 08, o Território da Arte de Araraquara apresenta a exposição “Tradicionalidades e Contemporaneidades” e em um de suas salas contempla o trabalho do multiartista Evandro Nicolau.

Educador do Museu de Arte Contemporânea da USP e também professor universitário, o artista apresenta um trabalho que pode resumir aproximadamente 18 anos de sua produção, com obras de três projetos distintos: o inédito “Estudo da Paisagem Canavieira”, além de partes dos projetos “Ócios do Ofício” e “#D3s3Nh0”, resultado de exposições individuais.

E não é só: soma-se a isso uma vitrine com desenhos preparatórios, rascunhos, rabiscos e esboços cotidianos, além de videoarte - área que Evandro se debruça. “Produzo bastante, uma vez que meu trabalho se entrelaça com novas mídias e com a música, pois sou também compositor”, enumera.

A exposição reúne trabalhos desde desenho de lápis sobre papel, até fotografia, vídeo e pintura. “Meu incomodo na criação tem a ver com as possibilidades de expressão. A minha primeira linguagem, para tudo é o desenho, que aliás deveria estar presente conscientemente na vida de todo mundo, mas as pessoas acham que não sabem desenhar, isso é um engano”, contesta.

No inédito “Estudo da Paisagem Canavieira” (foto acima), iniciado nos anos 1990, Evandro traz esta temática que se relaciona com Araraquara e também Jaboticabal, sua cidade natal. “Eu cresci nessa região e, desde criança, observar o mar de cana me intrigava. Sou ecologista, amo a natureza, a paisagem, que foi tema de meu doutorado inclusive, e, a paisagem canavieira, resultado da monocultura agrícola tem um impacto em nosso imaginário que não nos damos conta”. Vale destacar que Evandro é Doutor e Mestre pelo Programa Interunidades em Estética e História da Arte, da Universidade de São Paulo.

O artista confessa estar curioso para saber como o público tem se relacionado com as obras e a exposição como um todo. “Tradicionalidades e Contemporaneidades” também apresenta, em outra sala, obras de um antigo amigo de Evandro: o artista de Araraquara, Christophe Spoto. Ambos foram responsáveis pela curadoria da primeira edição do Território da Arte de Araraquara.

“Trabalhamos juntos em quatro ou cinco edições do Território. De lá para cá eu vi muitos movimentos culturais, principalmente nas cidades menores da região, desaparecerem e as cidades se entregarem a um modelo de cultura, sem maiores críticas, bem pouco inovador. Ou seja, houve um conservadorismo e uma perda de uma dimensão mais abrangente de cultura e arte”, aponta Evandro.

“E o Território permaneceu e, voltar a Araraquara, como artista, em uma exposição homenagem, foi uma honra, foi rever um filme na cabeça e foi muito renovador ver o evento vivo, sobrevivendo ao tempo que vivemos. O interior de São Paulo de modo geral é conservador, não afeito as artes, se contentando com a monocultura de massas. Araraquara, talvez por ser uma cidade maior, é singular nesse contexto”.

Sobre a programação do Território 2019, Evandro conta ter percebido muitas atividades provocadoras, com propostas atuais. “Inclusive na parte do educativo e de arte-educação, pude notar que há um grupo muito preparado, muito interessante”, destaca, lembrando que a educação artística, a arte-educação, a arte como produção de conhecimento - tudo isso é muito necessário. “Nós somos, no Brasil, compostos por uma diversidade cultural muito grande, isso é um valor inestimável, não podemos deixar que uma visão de monocultura nos enfraqueça, e a arte tem papel fundamental na ativação dessa percepção. É por essa visão mais abrangente da importância da arte, que envolve linguagens diversas, é fundamental, é surpreendente de fato, e necessário. O Território está de parabéns!”, finalizou.

 

Serviço

Território da Arte apresenta a exposição “Tradicionalidades e Contemporaneidades”, de Evandro Nicolau e Christophe Spoto

Local: Casa da Cultura Luís Antonio Martinez Corrêa (Rua São Bento, 909 – Centro)

Período: até 08 de junho

- Horário de visitação: de segunda à sexta-feira, das 9h15 às 20h45, e aos sábados, das 9h15 às 12h45

Grátis