agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
Cultura
FALE COM A REDAÇÃO:

Hip hop e música eletrônica com Craca e Dani Nega

Com discurso mais poético, porém atual e afiado, dupla apresenta o novo disco O Desmanche
Postado em: 13/09/2018 às 08:50
Autor: Redação
Hip hop e música eletrônica com Craca e Dani Nega
Craca e Dani Nega / Foto: Cacá Bernardes

Craca e Dani Nega estarão no palco do Sesc Araraquara nesta sexta (14), apresentando "O Desmanche", segundo disco da dupla, que conta com participações de Juçara Marçal, Luedji Luna, Roberta Estrela D'Alva, Sandra-X, Graça Cunha, Nanny Soul e Clarianas. A performance energética e contagiante será às 20h, com entrada gratuita. Acompanhados pela banda, entra em cena também o sistema de vídeo mapping desenvolvido por Craca, com imagens sincronizadas ao repertório musical. Este ano, estão indicados ao Prêmio Profissionais da Música 2018.

Em tempos de tantas turbulências sociais e políticas, a música pode funcionar como um condutor de ideias e sentimentos, tanto quanto acolhe e reconforta. O álbum traz nove músicas, sete inéditas, composições conjuntas de Craca e Dani Nega. Há um chamado ao levante, mas há também a convocação para o impulso de dançar e extravasar. O discurso continua atual e afiado, todavia mais poético, como também a construção e a fusão de linguagens sonoras, vindas da música brasileira, africana, latina, do eletrônico e de ritmos radicados por aqui como o hip hop, funk e o rap.

A arte que ilustra a capa foi criada pela artista visual Vânia Medeiros e nela já consta o viés político que, somado ao título, nos contextualizam precisamente aos dias de hoje. “O Desmanche é uma referência direta ao momento político em que nos encontramos”, afirma Craca. Responsável também por toda produção musical e arranjos do álbum, o músico complementa, "Há faixas bem dançantes e que abrem espaço também para outras escutas. É um disco pra sentar e ouvir ou para ouvir de fone pela cidade".

Há músicas que falam de resistência e da violência vivida pelo negro no Brasil, versam sobre sentimentos que pertencem especialmente ao povo negro. "Quando Voltarão?" é uma delas, a música cita militantes vítimas da violência no país. As faixas dançantes não deixam de ser ainda reflexivas, abordam temas sociais do mesmo modo que falam de afeto. "Na Faca, na Fúria, no Grito ou no Dente" narra por uma perspectiva feminista o amor entre mulheres, com um ritmo até então pouco explorado pela dupla: o funk carioca.

As participações especiais foram todas intencionalmente femininas. "As cantoras convidadas tem um trabalho consistente na cena musical, politicamente e esteticamente. O interessante é que cada uma delas trouxe um universo sonoro diferente, cantando no disco a sonoridade que as representam", conta Dani.

"Boi Navegador" abre o álbum com o coro das Clarianas, trazendo a música popular tradicional brasileira. "Não Pise na Bola", já conhecida nos shows, ganha registro em formato renovado e participação da MC e apresentadora, Roberta Estrela D'alva, parceira de longa data de Dani Nega. As cantoras Juçara Marçal e Sandra-X reencontram-se na faixa "Saravá Xangô", depois de tempos seguindo carreiras solo, com a propriedade e intimidade com que atuaram à frente do grupo A Barca por tantos anos. "Peito Meu" com participação de Luedji Luna e poesia forte, fala de liberdade e outros sentimentos universais. Graça Cunha e Nanny Soul participam juntas em "Casa de James", no ritmo dançante do funk e soul. A estética de ferro velho e da sucata oxidada ainda estão presentes, afinal são em desmanches que a dupla adquire peças com as quais construíram seu novo tanque de guerra poético.

A música vem acompanhada pelo suporte de imagens, que completam a narrativa de reflexões e provocações. Nos versos da MC Dani Nega musicados por Craca, a poesia dá voz ao discurso de tantos brasileiros, como trabalhadores, estudantes, professores, LGBT's, homens e mulheres negras.

Craca é o pseudônimo de Felipe Julián, músico, produtor musical e artista visual, que adapta e substitui instrumentos convencionais por criações suas de dispositivos eletrônicos, além de atuar nas artes visuais trazendo ao projeto o video mapping. Dani Nega é atriz, rapper e feminista, faz uso da palavra como motriz para expressão, com voz suave e precisa, o microfone é o seu lugar para questionamentos. Injustiças sociais, racismo, feminismo e outros temas estão na pauta.

O início da parceria aconteceu exatamente com o lançamento do primeiro disco "Craca, Dani Nega e o Dispositivo Tralha" (2016), premiado no 28º Prêmio da Música Brasileira como melhor álbum de Música Eletrônica. Dele, foi lançado o primeiro videoclipe, com a música “Papo Reto”, que destaca o protagonismo e a união das mulheres. Dirigido por Day Rodrigues, tem participações de diversas artistas e ativistas negras feministas.  Com este primeiro primeiro disco, Craca e Dani passaram pelo Festival Rec-Beat (Recife), Vento Festival (São Sebastião), MoLa no Circo Voador (RJ), Festival de Inverno de Paranapiacaba (SP), Festival Latinidades (Brasília), Festival Mundo Pensante (SP), Festival BR 135 (São Luís/MA), Festival Caosarte (SP), Festival Super Nova (SP), Festival Admirável Música Nova (SP, BH e RJ), entre outros.

 

Serviço

Show com Craca e Dani Nega

Dia: 14/9, sexta

Horário: 20h

Local: Garimpo

Classificação: Livre

Grátis