agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
Esporte
FALE COM A REDAÇÃO:

Edson Petroni: O karatê de Araraquara em boas mãos

Apaixonado pelo esporte e pela família, técnico comanda a equipe que brilha dentro e fora do Brasil
Postado em: 27/05/2020 às 03:26
Autor: Carlos André de Souza
Edson Petroni: O karatê de Araraquara em boas mãos
Edson Petroni é o técnico da Bushido-kai/Fundesport, que representa Araraquara pelo Brasil. Fotos: Arquivo pessoal

Motivo de muito orgulho para o esporte de Araraquara, o karatê da cidade é acostumado a se destacar em todas as competições que disputa. A equipe Bushido-kai/Fundesport conta com atletas que já se consagraram com títulos regionais, paulistas, brasileiros e até mundiais. A credibilidade se estende para a área organizacional, já que a cidade também já foi convidada várias vezes para sediar competições estaduais e nacionais. 

Um sucesso como esse não acontece da noite para o dia, mas vem com muito planejamento e trabalho. E o nome por trás desse resultado é Edson Petroni, técnico que comanda a equipe desde 2000 e que conseguiu, ao longo desse tempo, promover uma reformulação estrutural no karatê araraquarense.

Em entrevista ao Portal Morada, o mestre falou sobre suas origens, emoções, conquistas, planos e seu grande amor, que é a família. Confira!


O início

Filho de José Petroni e Ana Maria Assalve Petroni, Edson Petroni nasceu no dia 3 de março de 1972 no bairro do Cambuci, em São Paulo. Aos cinco anos de idade, sua família se mudou para Araraquara e passou a morar no Jardim Dom Pedro I, o Pedregal, onde cresceu. Realizou a maior parte de seus estudos na Escola Estadual João Batista de Oliveira (JBO), porém quando estava prestes a se formar, se transferiu para o Sesi por meio da plataforma Telecurso 2000.

Seu primeiro contato com o karatê aconteceu aos 16 anos da idade, quando conheceu a tradicional Academia Sol Nascente de Karatê, do sensei Milton Nakahira. Iniciou a prática do esporte e com 17 anos começou a se destacar. "Mesmo sendo faixa baixa, iniciante, logo fui convidado pelo meu professor a treinar junto com atletas faixas pretas, experientes, renomados e com grande tempo na arte marcial", relembra.

Edson faz uma análise sobre sua passagem como atleta e acredita que seu talento poderia ter sido melhor aprimorado se houvesse mais estrutura na época. "Eu vinha de uma família muito humilde, com uma condição financeira difícil. Tinha também que trabalhar para ajudar em casa e, por esses e outros motivos, avalio minha carreira como mediana, pois não tinha recursos para materiais esportivos, viagens, taxas de campeonatos, taxas de federação, cursos e suplementação", relata.


Outras profissões

Antes e também paralelamente ao karatê, Edson teve outros ofícios. Seu primeiro trabalho foi aos 13 anos, como 'guarda mirim' na fábrica Chabam. Poucos anos mais tarde, por se destacar no karatê, começou a trabalhar como segurança pessoal da família Cutrale. "Depois entrei na área metalúrgica, onde me tornei e sou até hoje torneiro mecânico, tendo meu próprio negócio", conta Edson. 

Ele conta que é comum os praticantes da modalidade viverem de outras profissões. "É extremamente difícil de se viver somente do karatê no Brasil, pela falta de apoio da iniciativa pública e privada, e pelo alto custo de competições nacionais e internacionais, mesmo hoje em dia tendo melhorado muito o auxílio aos atuais atletas comparado à minha época", analisa.


Mestre do tatame

No ano 2000, Edson iniciou sua carreira de técnico de karatê pela Fundesport. "Fui motivado pelo sonho de querer mudar a forma de como o karatê era administrado na cidade de Araraquara e pensando sempre na democratização, respeito e união dos atletas", explica Edson.

Sua luta à frente da equipe Bushido Kai-Fundesport teve resultado, já que conquistou diversas melhorias, como o centro de treinamentos exclusivo para a modalidade, tatames, materiais esportivos, ajuda de custo para viagem, taxa de inscrição, alimentação, cursos, bolsas mensais e bolsas de graduação.

A credibilidade que a cidade tem na modalidade também já fez com que ela sediasse torneios estaduais e nacionais. Edson Petroni explica o que torna o karatê de Araraquara diferente. "O diferencial foi a realização do meu sonho. Consegui implantar a democratização, a união e o respeito entre os atletas e professores. Com isso, vários atletas começaram a se destacar e colecionar vários títulos pessoais e por equipe, como Jogos Regionais, Abertos, Brasileiros, Sul-Americanos, Pan-Americanos e Mundiais, levando sempre o nome de Araraquara", destaca.


Momentos marcantes

Sob seu comando, a Bushido-kai/Fundesport cresceu e começou a faturar medalhas importantes para a cidade e também para o país. Dois exemplos desse sucesso são os araraquarenses Aguinaldo dos Santos - que foi tricampeão individual e campeão por equipe do Campeonato Mundial da World Traditional Karatê Association (WTKA) - e Tiago Rocha Moura (campeão do mesmo torneio em 2015). Aguinaldo também integrou a comissão técnica de Edson, assim como o auxiliar Fábio Pascoal. Outros inúmeros atletas da cidade também já subiram ao degrau mais alto do pódio em diversas edições do Campeonato Brasileiro.

O desempenho da equipe araraquarense gerou reconhecimento também ao treinador, que atingiu patamares elevados na modalidade. "Foram vários momentos especiais, mas o mais marcante foi quando, ainda técnico da Seleção Paulista, fui convidado pela Federação Brasileira de Karatê (FBK) a ser técnico da Seleção Brasileira, onde representamos o Brasil com 28 atletas no Campeonato Mundial (WTKA) na Itália em 2008", salienta Edson. 


O karatê no Brasil

As Olimpíadas de Tóquio, que foram adiadas para 2021, terão uma novidade que empolgou os praticantes do karatê, já que o esporte foi integrado entre as modalidades disputadas nos Jogos. Originado no Japão, trata-se de uma das artes marciais mais praticadas no mundo, principalmente no Brasil. 

Com sua experiência na modalidade, Edson avalia que o esporte merece ser melhor estruturado. "Vejo o karatê hoje no Brasil muito bem difundido e com ótimos atletas devido ainda a grandes nomes comprometidos com a essência do karatê (budô). Porém na área competitiva, o Brasil padece pela falta de estrutura. Penso que deveria ter uma união entre federações, confederações, estilos e mestres para, assim, existir a unificação e o fortalecimento que a modalidade merece", observa o mestre.


Importância do karatê

Além do âmbito competitivo, o karatê é muito popular por promover a melhora da postura corporal e aumento do equilíbrio e controle psicológico-emocional, por isso é um dos esportes mais requisitados por pessoas que desejam ter hábitos mais saudáveis.

Para Edson Petroni, seu significado vai muito além. "O karatê significa muita coisa na minha vida. Foi onde aprendi disciplina, respeito, educação e humildade para com o próximo. Conquistei respeito no meio, encontrei minha identidade, contribuiu muito para formação do meu caráter, construi muitas amizades e, o principal, construi minha família", revela.


Família sempre ao seu lado 

Diferente dos profissionais de outros esportes que amargam a distância da família durante treinos e competições, Edson comemora a vantagem de ter a sua ao seu lado nesses momentos. Isso porque a esposa Lucélia Cabrera Petroni e as filhas Stefany e Stella possuem o karatê correndo nas veias e sempre praticaram a modalidade ao seu lado. Elas, aliás, não apenas praticam, como também são acostumadas a conquistar medalhas para a cidade.

Por isso, ele faz questão de se declarar às três mulheres de sua vida. "Minha família é a minha base, o meu porto seguro, o motivo pelo qual me esforço para ser um marido e um pai cada vez melhor", destaca Edson.


Presente e futuro

Atualmente, a pandemia do novo coronavírus interrompeu treinos e competições de todas as modalidades esportivas e com o karatê não foi diferente, o que obriga o treinador a se adaptar à situação. "Estamos respeitando a quarentena e contribuindo para que tudo isso passe logo. Os treinamentos em família segue adaptados em casa, mas morrendo de saudades dos treinos presenciais", ressalta.

O momento, no entanto, não o impede de planejar um futuro ainda mais promissor para o karatê de Araraquara, principalmente com planos que visam fortalecer a revelação de novos talentos. "Um dos meus planos principais é aumentar o trabalho de base e com isso montar uma equipe infantil masculina e feminina. Além disso, também quero fortalecer mais a juvenil para poder suprir a equipe adulta", completa o mestre.

Assim, com o karatê sob o comando de Edson Petroni, Araraquara pode esperar mais conquistas e a revelação de mais talentos para levar o nome da cidade cada vez mais alto no esporte.

 

Confira abaixo algumas fotos da trajetória de Edson Petroni.

Relacionadas

Carlos André de Souza
Mestre Candoca: Um legado nas artes marciais
02/07/2020 às 01:35
Carlos André de Souza
Lívia volta a lutar pelo UFC em agosto
05/06/2020 às 01:03
Carlos André de Souza
Lívia e Vinícius Máximo participarão de live
21/05/2020 às 01:02

Notícias

Carlos André de Souza
Mestre Candoca: Um legado nas artes marciais
02/07/2020 às 01:35
Carlos André de Souza
Lívia volta a lutar pelo UFC em agosto
05/06/2020 às 01:03
Carlos André de Souza
Lívia e Vinícius Máximo participarão de live
21/05/2020 às 01:02