agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
Esporte
FALE COM A REDAÇÃO:

Volante afeana fala das emoções de conquistar a Libertadores

De volta ao clube, Nicoly esteve na conquista da taça em 2015
Postado em: 22/02/2021 às 01:01
Autor: Redação
Volante afeana fala das emoções de conquistar a Libertadores
Nicoly durante treino na Fonte Luminosa. Foto: Millena Cravo/Ferroviária

Nascida, criada e formada em Araraquara. Oriunda das categorias de formação das Guerreiras Grenás. Ela saiu, mas voltou esse ano e tem mais de 100 jogos com a camisa da Ferroviária. A volante Nicoly falou das emoções em disputar e conquistar a Libertadores de 2015 com o clube da sua cidade natal. 

Apesar de não ter sido um ano fácil para a Ferroviária, Nicoly lembra com muito carinho daquela temporada. “Apesar de batermos na trave nas competições, foi em 2015 que tive a oportunidade de jogar mais. E fomos campeãs da Libertadores. Lembro também que passamos por uma reestruturação, a maior parte do elenco de 2013 e 2014 estava de saída e tivemos uma mescla entre meninas experientes e mais novas, com um foco maior nas meninas da base”, lembrou.

Naquele ano, a Ferroviária teve um dos elencos mais jovens da sua história, mas nada que assustasse as futuras craques. “Era um desafio enorme pra gente e muito bom também, tivemos oportunidade de mostrarmos nossa força bem cedo”, que também falou sobre disputar a Libertadores aos 17 anos. “Foi incrível. Lembro que só caiu a minha ficha mesmo no primeiro jogo, porque parecia algo muito distante e do nada eu estava lá, jogando a Libertadores que eu assistia pela televisão.”

Nicoly lembra dos momentos marcantes da Libertadores, desde o momento da abertura, até a conquista da tão sonhada taça. “São muitas lembranças. O dia da abertura em que fomos ao Estádio enorme e lotado, os momentos em que ficávamos no sala do hotel conversando todas juntas, os passeios que fizemos e os jogos. Cada partida foi muito especial pra mim, essas são lembranças que marcaram. E claro, quando levantamos o troféu de campeãs”, falou.

De acordo com a volante, o técnico Leonardo Mendes e a comissão, tiveram papel fundamental para a conquista naquele ano. “O Léo foi fundamental para evolução e crescimento de uma equipe tão jovem. Ele sabia e conhecia muito bem o time que tinha nas mãos, nos passava uma confiança enorme. E não posso deixar de lembrar de toda a comissão que estava com a gente, como o Marcius e o Rosa que nos prepararam muito bem fisicamente para conseguir cumprir as estratégias que o Léo nos passava. Todos eles eram muito dedicados em nos tornar as melhores”, afirmou.

Conquistar um título tão importante, é um marco para a carreira de uma atleta, ainda mais quando ganha com o time de sua cidade. “Foi muito gratificante, um privilégio para mim. Eu amo o que faço, me dedico muito e coroar o trabalho com essa conquista pela minha cidade. É inexplicável, um sentimento tão bom que quero sentir de novo”, finalizou Nicoly.

A Ferroviária vai para sua quarta disputa de Libertadores. A Locomotiva já disputou em 2015, ano do título, 2016, no Uruguai, quando foi eliminada na primeira fase e 2019, no Equador, ano do vice-campeonato. A Copa Libertadores da América Feminina, está marcada para os dias 5 a 21 de março e será disputada na Argentina.

Texto: Jonatan Dutra/Ferroviária SA



Relacionadas

Carlos André de Souza
Guerreiras Grenás empatam com o Palmeiras 
18/04/2021 às 21:58
Carlos André de Souza
Guerreiras Grenás estreiam no Brasileiro
17/04/2021 às 22:13

Notícias

Carlos André de Souza
Guerreiras Grenás empatam com o Palmeiras 
18/04/2021 às 21:58
Carlos André de Souza
Guerreiras Grenás estreiam no Brasileiro
17/04/2021 às 22:13