agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
Esporte
FALE COM A REDAÇÃO:

Ferroviária está na final da Copa Paulista

Locomotiva perde, mas aproveita vantagem e enfrentará a Inter de Limeira na decisão
Postado em: 11/11/2017 às 21:03
Autor: Carlos André de Souza
Ferroviária está na final da Copa Paulista
Ferroviária perde, mas carimba a classificação para a final. Foto: Beto Boschiero/AFE

A Ferroviária está na final da Copa Paulista 2017. A Locomotiva perdeu por 1 a 0 para a Portuguesa na noite deste sábado, 11 de novembro, no Estádio da Fonte Luminosa, pela partida de volta da semifinal, mas utilizou a vantagem obtida no jogo de ida, onde superou o adversário por 2 a 0 no Canindé, para carimbar segunda participação seguida na final do torneio. 

O time araraquarense atraiu um bom público ao estádio e teve desempenhos distintos em cada tempo da partida. Na primeira etapa, a Locomotiva pressionou, criou boas chances, mas parou em uma boa atuação do goleiro João Lopes. Na etapa complementar, no entanto, a equipe araraquarense viu o time visitante buscar a reação e marcar o gol com Guilherme Queiroz, após falha da defesa afeana. Após o gol, a equipe araraquarense conseguiu segurar a forte pressão da equipe da capital paulista para evitar o segundo gol e assim carimbar sua vaga na decisão.

Na final do campeonato, o time comandado pelo técnico PC de Oliveira enfrentará a Internacional de Limeira, que na tarde deste sábado venceu o XV de Piracicaba por 2 a 1 no tempo normal e, por ter sido o mesmo placar do jogo de ida, levou a decisão para os pênaltis, onde levou a melhor por 4 a 3.

As datas e horários da decisão serão definidos nesta segunda-feira (13) pela Federação Paulista de Futebol, mas o que se sabe é que a Ferroviária, por ter a melhor campanha, fará o jogo de volta na Fonte Luminosa, em Araraquara. A Ferroviária é a atual vice-campeã da Copa Paulista. No ano passado perdeu a final nos pênaltis para o XV de Piracicaba. Vale lembrar que o campeão terá o direito de escolher entre uma vaga na Série D do Campeonato Brasileiro ou uma vaga na Copa do Brasil, enquanto o vice-campeão ficará com a vaga restante.


O jogo

Mesmo com a vantagem adquirida no jogo de ida, a Ferroviária impôs pressão no início da partida, enquanto a Portuguesa explorava os contra-ataques. Após um início de jogo muito estudado, o primeiro lance de perigo só aconteceu aos 20 minutos, quando Daniel Vançan recebeu pela esquerda e cruzou na área, a defesa afastou mal e a bola sobrou para Íkaro, que chutou rasteiro, mas a bola passou perto do canto direito do goleiro João Lopes.

Aos 26, Elvis recebeu pelo lado direito próximo à área e cruzou na medida para Léo Castro, que cabeceou de frente para o gol, mas o goleiro da Lusa fez uma defesa à queima-roupa. Outra chance clara criada pela Locomotiva ocorreu aos 34, quando Vançan passou rasteiro na área para Hygor, que encheu o pé e a bola chegou a raspar o travessão antes de ir para fora. Aos 38, Hygor recebeu em velocidade próximo à linha de fundo e bateu cruzado rasteiro, a bola cruzou a pequena área e passou muito perto do gol. Aos 41, a torcida da Locomotiva pediu pênalti quando o zagueiro da Lusa usou os braços para impedir Hygor de passar dentro da área, mas a arbitragem nada assinalou.

A Ferroviária voltou do intervalo sem alterações, enquanto a Lusa apostou suas fichas na entrada do veterano Marcelinho Paraíba. Mas quem assustou no início do segundo tempo foi a Ferroviária quando Vançan passou em profundidade para Léo Castro, que chutou sem ângulo, cruzado, e a bola passou perto do travessão. Aos 3 minutos, o atacante afeano Marco Damasceno recebeu no meio, passou pelo marcador e encheu o pé, mas parou em uma bela defesa do goleiro da Lusa, que espalmou para fora. A Portuguesa respondeu aos 5 com Pereira, que avançou e acertou um forte chute que passou perto do travessão de Tadeu.

Aos 17, o goleiro João Lopes voltou a fazer outra intervenção brilhante em um chute de Damasceno que foi em direção ao ângulo direito antes do camisa 1 se esticar e espalmar para fora. A Portuguesa passou a buscar o ataque em busca da reação. Aos 21, Maicon recebeu de frente para o gol e obrigou o goleiro afeano Tadeu fazer a defesa à queima-roupa. 

Aos 30, a Lusa chegou ao gol. A bola foi recuada para o zagueiro afeano Luan, que errou o domínio e Guilherme Queiroz se aproveitou para dominar, invadir a área, de frente para o gol, e tocar rasteiro na saída de Tadeu: 1 a 0 para a Portuguesa.

O time visitante se empolgou e passou a pressionar. A Ferroviária se segurava como podia. Aos 45, após lateral lançado na área da Ferroviária, a defesa afastou mal e Marcão chutou, a bola desviou e quase surpreende Tadeu, que a viu passar à direita do gol. 

No fim do jogo, quem quase chegou ao gol foi a Ferroviária. Aos 47, a Locomotiva saiu em contra-ataque, Raniele recebeu em profundidade e chutou colocado, mas a bola passou raspando a trave esquerda de João Lopes. Na sequência, a Ferroviária quase empatou quando Hygor recebeu pela direita e passou na área para Léo Castro, que perdeu o tempo da bola, mas conseguiu finalizar de calcanhar, parando em outra boa defesa do goleiro da Lusa. Após esse lance, o árbitro assinalou o fim do jogo, para festa dos torcedores afeanos na Fonte.

 

FICHA TÉCNICA

FERROVIÁRIA 0 x 1 PORTUGUESA
Local
: Estádio da Fonte Luminosa, Araraquara.
Data/Horário: Sábado, 11 de novembro, 19h.
Arbitragem: Alessandro Darcie, auxiliado por Mauro André de Freitas e Luiz Alberto Andrini Nogueira.
Público: 4.634 pagantes.
Renda: R$ 34.900,00.
Cartões amarelos: Alisson e Léo Castro (Ferroviária); Altemar, Marcão, Maicon e Rodolfo (Portuguesa).
Gol: Guilherme Queiroz (30’ do 2º T) para a Portuguesa.

FERROVIÁRIA: Tadeu; Alisson, Élton, Luan e Daniel Vançan; Willian Favoni, Íkaro (Danilo Sacramento), Hygor e Elvis (Raniele); Léo Castro e Marco Damasceno (Renato Kayzer). Técnico: PC de Oliveira.

PORTUGUESA: João Lopes; Paulo Fernando, Rodolfo, Marcão e Altemar (Franklin); Jonatas Paulista, Dedé (Marcelinho Paraíba) e Pereira; Guilherme Queiroz, Romarinho (Luisinho) e Maicon. Técnico: PC Gusmão.