Lutadora araraquarense se prepara para voltar a lutar nos Estados Unidos

Lívia Renata Souza enfrentará japonesa em seu quarto compromisso válido pelo Invicta FC

Compartilhe

Lívia Renata Souza enfrentará japonesa em seu quarto compromisso válido pelo Invicta FC
Imagem: Divulgação / Invicta FC

Lívia Renata Souza já tem data marcada para voltar a lutar. No dia 25 de março, em Kansas City, Estados Unidos, a araraquarense enfrentará a lutadora japonesa Ayaka Hamasaki, campeã peso átomo do Invicta FC, que retorna a categoria peso palha para a luta coprincipal do Invicta FC 22.

O combate não valerá o cinturão da divisão até os 52 quilos, mas deve ditar os rumos da categoria. Isso porque Angela Hill, que venceu Lívia em uma luta que teve o resultado muito contestado pela araraquarense, assinou com o UFC e deixou o posto vago, o que deve ter motivado Hamasaki a mirar atalhos rumo ao octógono mais famoso do mundo. Como não dispõe da divisão dos átomos em seu plantel, o UFC tem nos palhas do Invicta seu grande ‘celeiro’ de novos talentos e à vencedora do duelo deve caber direito de disputar o título vago.

A atleta da equipe Team Máximo fala sobre sua preparação visando o próximo duelo. “Treinos duros como sempre e seriedade total com a responsabilidade total de vencer”, resume a atleta de 25 anos, que possui boas vitórias no Invicta sobre Katja Kankaanpaa e DeAnna Bennett.

Lívia prefere deixar para trás a primeira derrota da carreira, quando perdeu o título do peso palha para Angela Hill em maio do ano passado, em um duelo bastante equilibrado de cinco rounds, mas que teve seu resultado muito contestado pela araraquarense. “Fiquei muito contrariada, porém além de esporte é negócio. Isso pesa, mas são águas passadas, o mundo é redondo e não há quinas pra se esconder. Logo mais chegará a hora do acerto de contas. No meu psicológico não pesou, porém na mentalidade deu mais seriedade, humildade e foco”, explica.

A japonesa Hamasaki enfrentará a terceira brasileira na sua carreira e todos os duelos com lutadoras do nosso país são marcantes na carreira da japonesa. Seu cartel possui 14 vitórias e apenas uma derrota, justamente para Cláudia Gadelha por decisão unânime. Ayaka é campeã peso átomo do Invicta FC desde julho de 2015, quando derrotou Hérica Tibúrcio. A japonesa treina na equipe AACC, uma das mais tradicionais do WMMA que conta com Rena Kubota atualmente. “É uma lutadora muito forte e campeã do peso de baixo. Só perdeu uma vez pra Gadelha há três anos, porém não vou sair do Brasil à toa. Vou pra fazer o melhor e dar tudo que tenho pra vencer”, assegura Lívia.

Diante de uma adversária que já comprovou sua capacidade, a araraquarense espera fazer valer sua preparação e qualidade. “Será uma luta de ranking alto, com dois títulos mundiais no cage. Vou deixar tudo lá e dar meu sangue, literalmente, pela quebrada, por aqueles que torcem por mim, e acima de tudo devolver o sorriso a todos que choraram quando me tomaram o cinturão daquele jeito ridículo, e arrancar o sorriso do rosto de quem comemorou sabendo que o certo, justo e correto sempre prevalece sobre qualquer injustiça”, completa a atleta que possui um cartel de dez lutas, com apenas uma derrota e nove vitórias, sendo sete por finalização, uma por nocaute e uma por decisão dos árbitros.