Lucca nega clima de euforia e quer imposição da Ponte Preta

Atacante anotou um gol do jogo de ida da semifinal em Campinas

Compartilhe

Atacante anotou um gol do jogo de ida da semifinal em Campinas
Imagem: Fabio Leoni / PontePress

A Ponte Preta faz os ajustes finais para a segunda semifinal contra o Palmeiras. Com a vantagem de três gols obtida em Campinas, o atacante Lucca, autor de um gol no primeiro confronto, nega o clima de "já ganhou" e ressalta a importância de impor o futebol campineiro para chegar à final do Paulistão.

Lucca iniciou bem a temporada, mas durante o Paulistão Itaipava ficou um tempo sem balançar as redes adversárias. Na primeira semifinal, o jogador acabou com jejum que durava desde o dia 21 de março, contra o Santo André.

“Às vezes acontece. O futebol é assim. É um esporte muito competitivo e temos de estar preparados em todas as situações que possa ocorrer. Procurei trabalhar e segurar a bronca. Quando se fica um tempo sem fazer gols vem algumas cobranças e temos que saber lidar com as situações. Procurei trabalhar e penso que nada vence o trabalhador”, ressaltou Lucca.

Autor de sete gols no campeonato, Lucca relembrou o tento contra o Palmeiras. “É sempre bom marcar e em um jogo dessa grandeza traz confiança. Fiquei muito feliz, comemorei com meus familiares, com a minha esposa e minha filhinha e dou os méritos a eles também, porque nas dificuldades eles estão juntos. A família é fundamental na vida de um homem e eu não sou diferente”, disse.

Em relação ao segundo confronto contra o Palmeiras, o jogador deu a receita sobre a postura pontepretana. “Temos de continuar impondo nosso jogo. Todos sabem que é marcar forte e explorar nossa velocidade na frente. Não é segredo para ninguém e temos que usar isso e saber lidar com qualquer situação que aconteça na partida”, explicou.

Apesar da vantagem de três gols, Lucca negou o clima de euforia pelo lado campineiro. “Não vamos entrar em euforia. Isso nós deixamos para o torcedor. Queremos entrar para a história do clube. Nosso pensamento é esse e temos condições. Se chegamos até aqui é porque temos condições de conquistar. Respeitamos todos os adversários. Sabemos que Palmeiras, São Paulo e Corinthians são favoritos, mas vamos fazer nosso trabalho”, concluiu.

Pela segunda semifinal do Paulistão, Palmeiras e Ponte Preta se enfrentam no sábado (22), às 19h, na Arena Allianz Parque, em São Paulo.