agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
Notícias
FALE COM A REDAÇÃO:

Galinhas ajudam a controlar invasão de escorpiões em CER

Unidade do Santa Angelina só voltará a receber crianças quando não houver riscos, diz secretaria
Postado em: 10/01/2018 às 16:08
Autor: Redação
Galinhas ajudam a controlar invasão de escorpiões em CER
Imagens: Val Cunha

No final do ano passado, os alunos do Centro de Educação e Recreação Cyro Guedes Ramos, no Santa Angelina, em Araraquara, foram transferidos para outra unidade após a constatação de que o local sofria uma invasão de escorpiões. Temendo acidentes, sob pressão de pais e funcionários, a secretaria transferiu, no início de dezembro, o atendimento das crianças matriculadas nos Berçários I e II e alunos integrais matriculados nas turmas de Classe Intermediária, 3ª, 4ª e 5ª etapa, que passaram a ser atendidas no CER Zilda Martins Pierri.

Desde então, a unidade passa por manutenção. No entanto, na última terça-feira (3), um dos reeducandos que prestam serviço no local, estava sem o uso do Equipamento de Proteção Individual (EPI), luva de raspa de couro, foi picado por um escorpião. “Imediatamente foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento e, prontamente, recebeu os devidos cuidados (vacinas), sendo posteriormente liberado pelo médico e ficando sob observação. O reeducando passa bem”, afirmou a secretaria da Educação, por meio de nota.

Os reeducandos que permaneceram no local receberam novamente a orientação para o uso dos EPI's, e deram continuidade aos serviços de reparos e procedimentos de combate e prevenção indicados pelo Centro de Controle de Fauna Sinantrópica.

Na manhã de terça-feira (9), a reportagem do Portal Morada visitou o local (veja vídeo abaixo) e constatou que galinhas foram soltas no gramado para auxiliar no combate aos escorpiões. A soltura dessas aves funciona como uma forma natural de tentar eliminar esses animais peçonhentos.

A secretaria confirmou que “o retorno do atendimento no CER Cyro Guedes Ramos ocorrerá somente no momento em que não houver nenhum risco às crianças e profissionais, e todas as medidas necessárias forem concluídas”, completa a secretaria.