agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
Notícias
FALE COM A REDAÇÃO:

Consumo consciente derruba inadimplência em Araraquara

Queda foi de 9,5% na comparação interanual
Postado em: 06/01/2020 às 17:31
Autor: Redação
Consumo consciente derruba inadimplência em Araraquara

Com o intuito de caracterizar o comportamento da inadimplência e da recuperação de crédito, o levantamento realizado pelo Núcleo de Economia do Sincomercio Araraquara, com base nos dados divulgados pela Boa Vista SCPC, demonstra que ambos os indicadores utilizados apresentaram reduções em dezembro quando comparados ao mesmo período do ano passado.

No âmbito nacional, a inadimplência apresentou variação de -2,7%, indo na mesma direção dos níveis estadual e municipal, cujas oscilações foram de -3,6% e -9,5%, respectivamente. Do mesmo modo, o indicador de recuperação de crédito registrou queda tanto em âmbito nacional (-2,8%) quanto estadual (- 4,8%) e municipal (-11,4%).

A expressiva redução da inadimplência na comparação interanual sugere que as famílias estão mais conscientes no que diz respeito ao orçamento doméstico. Inteirando o resultado observado com o Índice de Confiança do Consumidor – que procura identificar a percepção relativa dos consumidores às suas condições financeiras atuais e às perspectivas futuras – o aumento em âmbito estadual foi de 3,6% no mesmo período, segundo pesquisa realizada pela FecomercioSP.

Uniformemente, segundo dados do Boa Vista SCPC, houve aumento de 2,7% na demanda por crédito no mesmo intervalo. O forte estímulo creditício por parte dos bancos comerciais, cujas taxas de juros vêm apresentando quedas sucessivas ao longo do último ano, facilita o acesso ao crédito por partes das famílias. Portanto, de modo conjunto, os indicadores apontam para uma provável retomada do consumo das famílias que deve ocorrer nos próximos meses devido a maior disponibilidade de crédito no sistema financeiro.

Porém, vale ressaltar que apesar da redução no indicador de inadimplência, o grau de endividamento das famílias segue elevado, sendo necessário o avanço na recuperação do emprego formal, capaz de assegurar a retomada do crescimento sustentável da renda.