Outubro: emprego termina com números positivos em Araraquara

Resultado de vagas de emprego em Araraquara constata a abertura de 108 postos com carteira assinada no décimo mês do ano

Compartilhe

Outubro: emprego termina com números positivos em Araraquara

O mês de outubro seguiu uma tendência positiva com a abertura de vagas na cidade. As 108 vagas de emprego abertas na cidade no mês são resultado de 2.173 admissões e 2.065 demissões, de acordo com dados do CAGED. O setor de Serviços foi o grande responsável pelo aumento do emprego novamente, ainda devido às contratações temporárias para suprir a demanda do final do ano. A análise é do Núcleo de Economia do Sincomércio-Araraquara.

O setor de comércio começou a dar sinais de melhora após três meses consecutivos de quedas. Nos demais setores, o número de demissões acabou sendo maior que o número de admissões, gerando um resultado negativo, com destaque para a agropecuária.

O setor que liderou as demissões em Araraquara foi o setor agrícola, após resultado semelhante no mês passado, com perda de 133 postos de trabalho. Logo atrás o setor da Indústria, com a perda de 57 vagas de trabalho, principalmente devido ao ritmo de consumo ainda baixo.

 

Análise

Segundo a economista Délis Magalhães, as informações de emprego referente ao mês de setembro declaradas fora do prazo foram divulgadas, gerando grande mudança nos dados: o mês havia tido um saldo positivo de 344 vagas abertas, porém, a metalúrgica IESA demitiu 370 funcionários no mês, declarando as demissões fora do prazo de apuração. O resultado para o mês saiu de 344 vagas abertas para o fechamento de 28 postos de trabalho, devido às demissões da metalúrgica.

Para o mês de outubro, "o resultado de emprego com carteira assinada já apresenta os sinais de contratações para o fim do ano, com aumento de vagas nos setores de comércio e serviços. No país, o resultado de aberturas de postos de trabalho no setor de comércio foi animador, com 12.946 postos abertos. O bom desempenho foi puxado principalmente pelos setores varejista e atacadista, lideres nas vendas de Natal. As contratações temporárias ainda estão abaixo do esperado para o período, mas os saldos negativos continuam desacelerando", afirma a economista.