agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
Notícias
FALE COM A REDAÇÃO:

Palmeirenses são barrados sem máscara em bar e agridem proprietário

Caso teria acontecido no último sábado (8). Vítima aponta médico e policial como agressores
Postado em: 11/08/2020 às 13:50
Autor: Redação
Palmeirenses são barrados sem máscara em bar e agridem proprietário

Uma denúncia de dano e lesão corporal foi registrada nesta terça-feira (11), no 2º D.P. de Araraquara, sobre uma ocorrência que teria acontecido no último sábado (8), em um estabelecimento localizado na avenida Rodrigo Fernando Grillo, próximo ao Shopping Jaraguá.

O proprietário e o supervisor de venda do bar e restaurante afirmam que, logo após a final do campeonato paulista, por volta das 20 horas, um grupo de torcedores do Palmeiras, composto por três homens e três mulheres, chegou no estabelecimento. Um dos homens, identificado posteriormente como um policial militar, pediu para utilizar o banheiro, mas foi advertido porque não estaria usando máscara. Mesmo contrariado, ele voltou pro carro e passou a fazer uso do acessório, conforme determina a legislação estadual. Os outros integrantes do grupo se acomodaram em uma mesa, todos sem máscaras. Ainda de acordo com o proprietário, nenhuma das pessoas aceitou se submeter à medição da temperatura corporal.

Ao serem alertadas do descumprimento das normas obrigatórias de segurança, como a obrigatoriedade de apenas duas pessoas por mesa, passaram a ofender e agredir o proprietário e o supervisor. Uma das vítimas relata ferimentos e lesões em várias partes do corpo, além de ter o aparelho celular danificado e roupas rasgadas. A outra vítima também afirma ter sido agredida com socos e chutes e ter os óculos danificado. Além disso, as partes alegam prejuízos financeiros pela confusão provocada no estabelecimento comercial, que foi filmada pelo sistema interno de monitoramento (veja abaixo).

A Polícia Militar foi acionada para controlar a confusão. O caso foi registrado em boletim de ocorrência e, além do policial militar, outras duas pessoas foram apontadas como as responsáveis pela agressão, entre elas um médico que atua em Araraquara. Apesar de identificados, os supostos autores ainda não foram ouvidos pela polícia.

Procurado pela reportagem, o responsável pelo estabelecimento não quis se pronunciar. 

Assista às imagens das agressões: