agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
Notícias
FALE COM A REDAÇÃO:

Edna Martins é exonerada após participar de ato político

Ela e outras duas pessoas respondem a processo administrativo
Postado em: 01/06/2018 às 15:15
Autor: Luís Antonio
Edna Martins é exonerada após participar de ato político
Edna Martins discursa durante ato político no Melusa Clube, em Araraquara

Edna Martins, uma das principais lideranças do PSDB de Araraquara, foi exonerada da Diretoria  Regional de Assistência Social , cargo ligado ao governo do Estado, para o qual havia sido nomeada em 2017, depois de perder a eleição para a Prefeitura de Araraquara.

A exoneração foi publicada no Diário Oficial da última segunda-feira (28). Além de Edna Martins, também foram exonerados José Pelicola, que ocupava cargo ligado a secretaria de Planejamento e Gestão, e Maria José Serra Zaccaro, Diretora Regional de Ensino.

Procurada pela reportagem, Edna Martins afirmou que ficou sabendo da exoneração após publicação no Diário Oficial. “Essas trocas são comuns após mudanças de governo, como ocorreu agora com a saída do governador Geraldo Alckmin”, explicou.

Os três exonerados, no entanto, respondem ainda a processo administrativo (PA) instaurado para apurar supostas práticas irregulares no serviço público. Pela publicação, eles respondem pelo descumprimento do artigo 257 da Lei 10261/68. Segundo Edna Martins, o motivo para a abertura do PA foi a participação em um ato político em Araraquara, realizado na última sexta-feira (25), com o pré-candidato ao governo de São Paulo  João Dória (PSDB). O evento ocorreu em Araraquara e teria começado ainda durante o expediente. “Naquele dia eu havia me ausentado do trabalho por motivos pessoais na parte da manhã. A participação no ato partidário foi à tarde, mas eu não estava recebendo pelo dia de trabalho. Não usei carro oficial nem qualquer estrutura da máquina pública para isso”, declarou. A ex-vereadora considera que está sendo alvo de perseguição política. “Não precisariam recorrer a esse expediente para uma exoneração que seria natural, afinal eu não apoiarei o Márcio França [atual governador e possível candidato à reeleição] na disputa pelo governo paulista”, disse.

Ainda não foram divulgados os nomes dos substitutos para as funções.