agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
Notícias
FALE COM A REDAÇÃO:

Câmara de Araraquara discute vendas da Atlética e do Estrela

Em sessão extraordinária, vereadores discutem se dão autorização para a venda das áreas públicas
Postado em: 12/07/2018 às 07:41
Autor: Redação
Câmara de Araraquara discute vendas da Atlética e do Estrela

A Câmara Municipal de Araraquara convocou Sessão Extraordinária para a tarde desta quinta-feira, dia 12, às 16 horas, a pedido da Prefeitura, para discutir a venda de duas áreas públicas: o campo da Associação Atlética Ferroviária, no Jardim Paulista, sem que no projeto seja apontado o comprador, e a área do antigo Estrela Futebol Clube, esta, destinada ao Departamento Autônomo de Água e Esgoto. Os valores apurados pelos avaliadores da Prefeitura somam quase 10 milhões de reais (R$ 9.880.432,42). Um terceiro projeto também será votado, atribuindo denominação à uma academia ao ar livre, no Jardim Universal, que a Prefeitura programou para ser inaugurada no final de semana.

A área da Atlética, localizada próximo à sede da Secretaria Municipal da Educação e da Escola Municipal de Dança, no Jardim Paulista, tem 14.838,30 m², com 590 m² de benfeitorias, ou seja, de construção, no caso vestiários e outras salas, com idade aparente de mais de 50 anos. Seguindo normas da ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas e do IBAPE – Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia, considerando informações do mercado imobiliário e até padrões de fator depreciativo (fórmula Ross/Heidecke), o valor da área foi estimado em R$ 3.288.860,85). Juntos aos documentos enviados à Câmara aparecem duas declarações, das Secretárias Municipais da Saúde e da Educação, afirmando que não há projetos de ocupação ou implantação de algum serviço para o referido imóvel.

Já a área do Antigo Estrela Futebol Clube, localizado na Avenida José Parisi, recebido em doação pela Prefeitura no ano de 2009, tem 16.247,60 m² de área, além de diversas construções, como quadras, mini campos, piscinas, salão de festas, barracão de campos de malha, bocha e bar; vestiários, reservatório de água, poço artesiano, prédio onde era a sede do Fundo Social de Solidariedade, casa do zelador e outros, totalizando 7 mil m². No laudo de avaliação estão descritas as estruturas de todas as edificações, junto com suas avaliações individuais. Somados os valores atribuídos ao terreno e edificações, temos R$ 6.791.098,37. Igualmente há ofícios das secretarias municipais da Saúde e Educação, apontando não haver projetos para implantação de serviços no imóvel.