Edinho Silva volta a negar irregularidades na campanha 2014

Ex-diretor da Odebrecht citou ex-tesoureiro de campanha de Dilma Roussef em depoimento ao TSE

Compartilhe

Edinho Silva volta a negar irregularidades na campanha 2014
Imagem: Edinho Silva atuou como tesoureiro da campanha de dilma Roussef à reeleição, em 2014

Em nota publicada na noite desta segunda-feira (6), Edinho Silva (PT), prefeito de Araraquara e ex-tesoureiro da campanha de Dilma Roussef à reeleição, em 2014, declarou que as declarações do ex-diretor da Odebrecht Alexandrino Alencar tiveram o claro objetivo de criminalizar a campanha da ex-presidente.

 Alencar prestou depoimento no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no processo que apura suposto abuso de poder econômico na chapa Dilma-Temer. Ele relatou, segundo informações do jornal Folha de São Paulo,  que Edinho Silva, sugeriu que a empreiteira doasse R$ 30 milhões por meio de caixa dois. O dinheiro pago teria sido usado para “comprar o apoio de partidos que integraram a coligação "Com a Força do Povo"”.

Em nota, Edinho Silva afirma que jamais pediu doações que não fossem legais. “Mais uma vez fica nítida a tentativa de construção de uma tese que tem como objetivo a criminalização da campanha Dilma 2014. Todas as coligações que disputaram aquele pleito construiriam coligações ideológicas, a coligação da campanha Dilma é compra de tempo de televisão. Tal afirmação se constitui em um verdadeiro absurdo”, afirma Edinho.

O ex-tesoureiro lembra que tese semelhante já foi levantada por um executivo da Andrade Gutierrez, o que foi comprovadamente desconstruído. “Por que pediria doações para partidos que não fossem legais? Qual a diferença isso faria para a campanha Dilma? Uma afirmação sem nexo e sem lastro na realidade. Tal acusação é mentirosa e não ficará ‘em pé’”, afirma.