agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
Notícias
FALE COM A REDAÇÃO:

Prefeito de Matão questiona transferência de pacientes de Araraquara

Para Edinardo Esquetini, mídia apresenta Araraquara como a “Califórnia brasileira”, mas município não é transparente
Postado em: 11/08/2020 às 13:49
Autor: Luís Antonio
Prefeito de Matão questiona transferência de pacientes de Araraquara

O prefeito de Matão, Edinardo Esquetini, voltou a criticar Araraquara em meio ao aumento de casos de coronavírus na região. Ao questionar a transferência de pacientes com covid-19 para o hospital Carlos Malzoni, o chefe do Executivo matonense disse não entender o motivo pois, afinal, “a mídia regional apresenta Araraquara como a Califórina brasileira, o salvador da pátria, o cara que sabe tudo, que entende tudo, aliás defendido por uma mídia da cidade Araraquara (SIC), disse Esquitini (veja vídeo abaixo).

Esquitini disse que um representante da administração municipal de Matão iria até Araraquara para tentar saber o que estaria motivando as transferências. As declarações foram dadas durante uma live. Matão tem, até o momento, 196 positivos com confirmação por institutos credenciados e outros 246 confirmados por meio de testes rápidos feitos por laboratórios particulares, totalizando 442 casos.

 

Araraquara também recebe pacientes de outros municípios

Após as falas do prefeito de Matão, a secretária municipal da Saúde de Araraquara, Eliana Honain, esclareceu que as internações são reguladas pela Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde (Cross), serviço este gerenciado pela Secretaria Estadual de Saúde. “É esse sistema quem direciona os pacientes na região e no estado”, disse Honain.

Os leitos SUS são categorizados como regionais e podem receber pacientes das diversas cidades da regional de Araraquara (DRS), e se for necessário, atende pacientes de outras regiões. Portanto, é o governo do estado o responsável pelo direcionamento do paciente para o hospital que ele será assistido.

A Cross fica situada em São Paulo e é regulada por médicos especialistas. “Sempre que um paciente necessita de internação, o seu médico prescreve uma ficha que é colocada no sistema Cross, o qual dá a locação dessa vaga de acordo com o grau de gravidade e o recurso mais próximo da residência do paciente”, explicou a secretária.

Em relação aos leitos destinados à Covid-19, o sistema regula para o Hospital de Campanha Municipal de Araraquara, após a total capacidade instalada dos hospitais estar preenchida, uma vez que o hospital de campanha é um equipamento de apoio, para não deixar faltar leitos para o atendimento. “Eles não têm a mesma estrutura de um leito de UTI de um hospital regular. Portanto, toda responsabilidade da transferência de pacientes é da Cross, por meio do governo do estado e não do município. É de responsabilidade de médicos e não dos agentes políticos, tampouco do prefeito”, esclareceu Eliana Honain.

Araraquara recebe pacientes de toda região, não só para Covid-19, como para todas as patologias. No caso da Covid-19, por exemplo, há hoje 19 pacientes internados que são de outros municípios. “Muitas foram as oportunidades que pacientes de Matão necessitaram da estrutura hospitalar de Araraquara, e isso em nada gerou de estranheza, já que é assim que funciona o Sistema Único de Saúde”, afirmou.

“Mais uma vez, mesmo com discurso sectário e desagregador da cidade de Matão, Araraquara se coloca à disposição da população desta cidade vizinha, bem como todas as demais, entendendo que o enfrentamento ao coronavírus deve ser de todos, de toda a região”, completou a secretária.