agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
Blogs Raphael Pena É jornalista, atualmente responsável pela comunicação do SISMAR – Sindicato dos Servidores Municiais de Araraquara
FALE COM O COLUNISTA:

Não é Bolsonaro que nos leva à barbárie, ele é resultado dela

"Enquanto a nossa cultura for a da elite, da burla, do preconceito, do patriarcado, cavaremos mais e mais, seja quem for eleito. "
Postado em: 27/05/2020 às 09:35
Autor: Raphael Pena
Não é Bolsonaro que nos leva à barbárie, ele é resultado dela

Bolsonaro só existe porque cavamos por décadas e com muita dedicação e afinco o imenso buraco onde estamos. Com seu ódio, seu discurso fascista, sua burrice e sua bizarrice, ele só fez iluminar o buraco que já estava lá. Agora, não temos como não ver o que antes era confortavelmente ignorado.

Não se trata, absolutamente, de absolver Bolsonaro, mas de colocá-lo no devido lugar, o de subproduto de uma sociedade elitista, racista, machista, corrompida e despreparada para viver em democracia. E, para isso, temos que tirá-lo do lugar que ele ocupa no imaginário coletivo, o de causador do buraco, para que este espaço seja ocupado pela realidade.

Se não fizermos isso, podemos derrubar Bolsonaro mas tudo continuará exatamente igual. Empresários seguirão sonegando; a polícia matando negros na periferia; pessoas continuarão querendo tirar vantagem em cima de outras; políticos permanecerão afastados dos anseios da sociedade, corrompidos e corrompendo, com a conivência de tanta gente; empresas gigantes de comunicação e jornais manterão o propósito de manipular consciências; Educação e Saúde darão cada vez mais lucro para alguém; cada vez menos gente terá acesso à arte e tudo ainda será um grande buraco.

Foi assim que chegamos até aqui. Fazendo concessões, burlando, olhando para o próprio umbigo, aceitando pequenas ilegalidades, rindo de piadas racistas, equiparando ciência e opinião, sem ética, abrindo mão do conhecimento, ignorando o próximo, permitindo abusos (e abusando) aqui e ali em nome de alguma liberdade ou de um bem maior. Nos ferramos.

Por isso, derrubar Bolsonaro e a chapa toda é necessário e urgente para tentarmos evitar uma ditadura, mas, para sairmos mesmo do buraco, para enfrentarmos o bolsonarismo (que é muito maior que o Bolsonaro), será preciso muito mais do que uma simples eleição. Não é questão de eleger Lula de novo ou dar chance ao Ciro Gomes ou ao Boulos. Não é uma eleição que vai nos resgatar.

Enquanto a nossa cultura for a da elite, da burla, do preconceito, do patriarcado, cavaremos mais e mais, seja quem for eleito. E o fascismo continuará rondando. Precisaríamos compreender, reaprender e principalmente interiorizar conceitos como solidariedade, ética, justiça, humanidade, as relações entre público e privado, os direitos humanos. E aplicar de verdade isso nas nossas vidas, ensinar isso às crianças. Uma mudança cultural que levaria gerações, mas, infelizmente, este não é nem o cenário que se apresenta.

Somos todos culpados. Caímos na cilada que fingíamos não ver. E não vai ser fácil e nem rápido sair dela.

Blogs e colunas

Maria Isabel  Escarmin
Maria Isabel Escarmin
Uma nota sobre a solidão
02/10/2017
Guilherme  Quintão
Guilherme Quintão
O terceiro turno de Bolsonaro
30/10/2018
Matheus  Santos
Matheus Santos
Eleição não é cheque em branco
02/12/2020
Cristiane Tarcinalli  Moretto Raquieli
Cristiane Tarcinalli Moretto Raquieli
Apoiar, acolher e integrar
18/07/2017
Adalberto Cunha
Adalberto Cunha
O uso do plástico na sociedade atual
22/12/2017
Vaine Luiz Barreira
Vaine Luiz Barreira
Meltdown e Spectre
08/01/2018
Rodrigo Viana
Rodrigo Viana
Ignácio, o imortal
15/03/2019
Marcelo  Bonholi
Marcelo Bonholi
A matemática do medo
30/04/2020