agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
  
agora, no ar:
...
...
Notícias
FALE COM A REDAÇÃO:

Homem é condenado a 10 anos de prisão por espancamento

Crime aconteceu em frente ao Fórum de Araraquara; Decisão foi anunciada após 19 horas de julgamento  
Postado em: 12/01/2022 às 07:30
Autor: Redação
Homem é condenado a 10 anos de prisão por espancamento

Um homem foi condenado a 10 anos de prisão em regime fechado por ter espancado Aldo Gibran Charara, 46 anos, no dia 20 de maio de 2019. O acusado, Marco Antônio Moreira dos Santos,  atualmente com 51 anos, foi sentenciado por júri popular após 19 horas de julgamento pelo crime de tentativa de homicídio. A decisão foi anunciada por volta das 5horas desta quarta-feira (12).  

No dia do crime, Santos estava acompanhado por um advogado, que também era acusado. No entanto, depois de ouvir diversas testemunhas de acusação e defesa, os integrantes do júri concluíram que o advogado não teve participação direta no crime.

 

Relembre o caso

Em maio de 2019, um homem foi espancado com pauladas na cabeça, na Rua dos Libaneses, no bairro do Carmo, em Araraquara, em frente ao Fórum.

Na ocasião, testemunhas afirmaram que a vítima não teve condições de reagir ou se defender. Na versão do advogado, ele vinha sofrendo ameaças há alguns meses, quando passou na frente da casa da vítima, onde houve uma acalorada discussão.  A vítima seguiu o advogado com uma barra de ferro na mão.

O advogado disse ainda que foi até sua residência, que serve de escritório, onde era aguardado por seu cliente. Chegando no local, foi atacado pela vítima e o cliente partiu em sua defesa com um pedaço de pau.

No depoimento das testemunhas consta que o advogado e o cliente cercaram a vítima bem em frente ao portão de entrada do Fórum e passaram a agredi-lo violentamente, sem chance de defesa.

A vítima foi socorrida em estado grave para a Santa Casa, onde ficou internado na UTI por um longo período e saiu com sequelas.

No dia do crime, segundo testemunhas, os acusados fugiram do local em um GM/Corsa de cor cinza, mas foram abordados e detidos pela Polícia Militar. Na casa do advogado os policiais encontraram os objetos utilizados neste crime.