InícioNotíciasGeralAnimais peçonhentos fazem quase uma vítima por dia

Animais peçonhentos fazem quase uma vítima por dia

Dados do Serviço Especial de Saúde de Araraquara (SESA) revelam que acidentes com escorpiões são os mais comuns

 

Nos seis primeiros meses do ano, o Serviço Especial de Saúde de Araraquara (SESA) aponta que foram registrados 165 acidentes envolvendo animais peçonhentos no município.

Os dados incluem apenas os casos em que as vítimas procuraram atendimento médico para receber antídoto nos casos de animais venenosos ou medicamentos para alergias e combate às dores provocadas pelo ataque dos animais peçonhentos.

 De janeiro a junho, do total de casos registrados, 28% foram provocados por escorpiões, enquanto 6,5% foram atacados por aranhas.

 A situação enfrentada pelo município de Araraquara é a mesma registrada em todo o Estado de São Paulo. Levantamento da Secretaria da Saúde de São Paulo aponta que o número de acidentes com animais peçonhentos dobrou na última década e que os escorpiões são os principais “vilões” desses ataques.
Em 2010 foram registrados 14.601 acidentes envolvendo cobras, aranhas, escorpiões e taturanas. O número é 112,4% superior ao de dez anos antes. Em ano 2000, foram 6.873 acidentes com animais peçonhentos.

O levantamento também identificou que quase metade de todos os acidentes, ou 46,5 % dos casos registrados no ano passado, foram causados por ataques de escorpiões: 6.783 notificações. Outros 3.007 casos registrados foram referentes a ocorrências com aranhas, além de 1.752 registros de acidentes com serpentes e outras 1.644 notificações envolvendo abelhas.

Principais cuidados

Diferente do que se costuma ouvir, em caso de ferimento, de forma alguma se deve amarrar o local atingido, já que essa ação pode produzir necrose e não evita absorção do veneno.

Em caso de acidentes com cobras, a primeira medida é lavar o local afetado com bastante água e sabão e procurar imediatamente o serviço de saúde mais próximo. As ações que costumamos ver em filmes, como amarrar, cortar ou mesmo chupar a ferida com a intenção de sugar o veneno deve ser evitada: isso pode piorar a situação da vítima.

Para ferroada de escorpião, a primeira medida a ser adotada é colocar compressas de água morna sobre a ferida para aliviar a dor. Em seguida, recomenda-se procurar a assistência médica mais próxima. Já em caso de picadas de aranhas e queimaduras de taturanas é importante não mexer no ferimento. 
 

 

Notícias relacionadas
- Anúncio -spot_img

Mais lidas