InícioNotíciasEleições 2022: representatividade feminina na Alesp cresce 31,57%

Eleições 2022: representatividade feminina na Alesp cresce 31,57%

Número de mulheres na Assembleia Legislativa de São Paulo deve saltar das atuais 19 para 25 parlamentares

Por: Cléber Gonçalves

A Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo terá a maior representatividade feminina da história na próxima legislatura (2023/2026). Dos 94 parlamentares estaduais escolhidos pela população no último domingo (2), 25 são do gênero feminino.

A quantidade de mulheres na atual composição da Casa já era considerada uma marca histórica, com 19 parlamentares. Agora, as cadeiras do Parlamento Paulista serão ocupadas por seis deputadas a mais, um aumento de 31,57%. Das escolhidas pela população nas urnas, 13 foram reeleitas. As outras 12 assumem o posto pela primeira vez ou retornam depois de um ou mais mandatos fora.

De acordo com a cientista política Bárbara Regina Vieira Lopes, a discussão de temas relacionados às mulheres, nos últimos tempos, tem contribuído para que mais mulheres se candidatem e que, também, sejam eleitas. "Isso se deve a vários fatores, mas destaco, em especial, dois: o aumento da exploração do assunto, que alcançou as redes sociais e ganhou força, e, de maneira formal, as iniciativas do Tribunal Superior Eleitoral, que levam ao aumento das candidaturas e da visibilidade das mulheres", explicou.

A Alesp tem trabalhado constantemente a questão das mulheres na sociedade. Uma delas, inclusive, no sentido de estimular a participação feminina, tanto em relação às candidaturas quanto em relação aos votos, o que tem contribuído para esse aumento. Apesar disso, a representatividade ainda é baixa.

"Se considerarmos que em 1984 tínhamos duas mulheres somente, houve um avanço. Mas ainda falta muito. Digo isso porque as mulheres compõem a maioria da população e dos eleitores, mas são apenas 25% dos parlamentares. E essas eleitas representam apenas uma parte do eleitorado. Ainda falta representatividade regional, de cor, de sexualidade, entre outras categorias", disse a cientista.

 

Renovação

O resultado das urnas também apontou que a Alesp terá uma renovação geral significativa, a partir de 2023. Do total de eleitos, 40 não ocupam, ainda, uma cadeira no Legislativo. Os outros 54 foram reeleitos. Com isso, a renovação da Casa de Leis será de mais de 42%.

O mandato dos eleitos começa em 15 de março de 2023 e tem duração de quatro anos. Durante esse período, os parlamentares terão inúmeras atribuições, como fiscalizar os serviços e obras públicas; propor, discutir e votar projetos de lei; apreciar o orçamento do Estado; levantar as demandas dos cidadãos e defendê-las, entre outras.

 

Partidos

O partido político que deve contar com mais representantes no Legislativo paulista é o PL (Partido Liberal), com 19 parlamentares, sendo que atualmente a quantidade é de 17. Na sequência, vem o PT (Partido dos Trabalhadores), com 18 eleitos, oito a mais que o observado nesta composição. Em terceiro lugar, aparece o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), que terá 9 parlamentares (contra 13, de agora).

Além desses, outros 15 partidos estarão representados: Republicanos (8); União Brasil (8); PSOL (5); MDB (4); PSD (4); Podemos (4); PP (3); PSB (3); Cidadania (2); PSC (2); Novo (1); PC do B (1); Rede (1); PDT (1); e Solidariedade (1).

 

Confira a relação completa dos eleitos:

Eduardo Suplicy (PT) – 807.015 votos

Carlos Giannazi (PSOL) – 276.811 votos

Paula da Bancada Feminista (PSOL) – 259.771 votos

Bruno Zambelli (PL) – 235.305 votos

Major Mecca (PL) – 224.462 votos

Tomé Abduch (Republicanos) – 221.656 votos

André do Prado (PL) – 216.268 votos

Tenente Coimbra (PL) – 209.705 votos

Delegado Olim (Progressistas) – 201.348 votos

Ana Carolina Serra (Cidadania) – 198.698 votos

Milton Leite Filho (União Brasil) – 198.429 votos

Gil Diniz (PL) – 196.215 votos

Bruna Furlan (PSD) – 195.436 votos

Capitão Conte Lopes (PL) – 192.454 votos

Itamar Borges (MDB) – 183.480 votos

Marcos Damasio (PL) – 183.219 votos

Carlos Cezar (PL) – 180.690 votos

Carla Morando (PSDB) – 177.773 votos

Jorge Wilson Xerife Consumidor (Republicanos) – 177.614 votos

Ediane Maria (PSOL) – 175.617 votos

Marta Costa (PSD) – 170.541 votos

Emídio de Souza (PT) – 157.834 votos

Professora Bebel (PT) – 155.983 votos

Guto Zacarias (União Brasil) – 152.481 votos

Gerson Pessoa (Podemos) – 143.704 votos

Enio Tatto (PT) – 142.785 votos

Luiz Fernando (PT) – 141.017 votos

Rogério Nogueira (PSDB) – 139.756 votos

Oseias de Madureira (PSD) – 137.205 votos

Valeria Bolsonaro (PL) – 131.557 votos

Lucas Bove (PL) – 130.451 votos

Edmir Chedid (União Brasil) – 129.097 votos

Thiago Auricchio (PL) – 123.483 votos

Vinicius Camarinha (PSDB) – 123.316 votos

Maurici (PT) – 121.455 votos

Rafael Silva (PSD) – 118.182 votos

Paulo Fiorilo (PT) – 110.251 votos

Reis (PT) – 108.726 votos

Marcia Lia (PT) – 108.587 votos

Barba (PT) 108.07 votos

Monica do Movimento Pretas (PSOL) – 106.781 votos

Carlão Pignatari (PSD) – 105.245 votos

Caio França (PSB) – 105.173 votos

Sebastião Santos (Republicanos) – 104.374 votos

Altair Moraes (Republicanos) – 98.515 votos

Rafael Saraiva (União Brasil) – 98.070 votos

Gilmaci Santos (Republicanos) – 96.361 votos

Agente Federal Danilo Balas (PL) – 94.552 votos

Rui Alves (Republicanos) – 91.717 votos

Thainara Faria (PT) – 91.388 votos

Leo Siqueira (NOVO) – 90.688 votos

Ricardo Madalena (PL) – 90.630 votos

Leci Brandão (PCdoB) – 90.496 votos

Felipe Franco (União Brasil) – 90.440 votos

Analice Fernandes (PSDB) – 90.135 votos

Andréa Werner (PSB) – 88.820 votos

Donato (PT) – 88.022 votos

Barros Munhoz (PSDB) – 86.372 votos

Paulo Mansur (PL) – 86.201 votos

Marina Helou (Rede) – 85.517 votos

Marcio Nakashima (PDT) – 85.195 votos

Capitão Telhada (Progressistas) – 83.438 votos

Edna Macedo (Republicanos) – 82.932 votos

Caruso (MDB) – 82.209 votos

Leo Oliveira (MDB) – 82.145 votos

Dr. Jorge do Carmo (PT) – 82.054 votos

Solange Freitas (União Brasil) – 81.870 votos

Daniel Soares (União Brasil) – 81.753 votos

Dani Alonso (PL) – 80.337 votos

Ana Perugini (PT) – 79.061 votos

Mauro Bragato (PSDB) – 78.142 votos

Helinho Zanatta (PSC) – 77.550 votos

Rafa Zimbaldi (CID) – 76.910 votos

Rogério Santos (MDB) – 76.602 votos

Rodrigo Moraes (PL) – 75.094 votos

Rômulo Fernandes (PT) – 75.033 votos

Alex de Madureira (PL) – 74.340 votos

Luiz Claudio Marcolino (PT) – 70.487 votos

Delegada Graciela (PL) – 68.955 votos

Letícia Aguiar (Progressistas) – 68.556 votos

Maria Lucia Amary (PSDB) – 66.956 votos

Fabiana B. (PL) – 65.497 votos

Beth Sahão (PT) – 65.407 votos

Ricardo França (Podemos) – 64.175 votos

Paulo Corrêa Jr (PSD) – 62.239 votos

Simão Pedro (PT) – 59.785 votos

Clarice Ganem (Podemos) – 59.342 votos

Edson Giriboni (União Brasil) – 59.087 votos

Atila Jacomussi (Solidariedade) – 58.707 votos

Vitão do Cachorrão (Republicanos) – 56.729 votos

Dr Eduardo Nóbrega (Podemos) – 53.607 votos

Dr Valdomiro Lopes (PSB) – 50.824 votos

Dr. Elton (PSC) – 46.042 votos

Guilherme Cortez (PSOL) – 45.094 votos

Redação

Notícias relacionadas

Mais lidas