InícioNotíciasGeralProfessor de Araraquara é eleito para a Academia de Ciências

Professor de Araraquara é eleito para a Academia de Ciências

Sidney Ribeiro, do Instituto de Química da Unesp/Araraquara, foi eleito para a Academia Brasileira de Ciências. Cerimônia de posse será no Rio de Janeiro

 

A Academia Brasileira de Ciências (ABC) elegeu os seus novos membros titulares e correspondentes. Eles tomarão posse durante a Reunião Magna a ser realizada nos próximos dias 4, 5 e 6 de maio. Neste ano, em comemoração aos 100 anos da ABC, a Reunião Magna será realizada no Museu do Amanhã, recém-inaugurado no Rio de Janeiro, totalmente dedicado à ciência e ao conhecimento.

Entre os eleitos para a Academia que tomarão posse está Sidney José Lima Ribeiro, professor do Instituto de Química em Araraquara, escolhido na área de Ciências Químicas.
Os membros titulares da ABC são cientistas radicados no Brasil há mais de dez anos, com destacada atuação científica. Já os membros correspondentes são cientistas radicados no exterior há mais de dez anos de reconhecido mérito científico, que tenham prestado relevante colaboração ao desenvolvimento da ciência no Brasil. 

Sobre Sidney José Lima Ribeiro

Professor titular no Instituto de Química – Unesp em Araraquara, Bacharel em Química (Unesp-1982), Mestre em Quimica Inorgânica (Unesp- 1987) e Doutor em Quimica Inorgânica (Unesp-UFPE-1992).Membro da Academia de Ciências do Estado de São Paulo. Membro da Coordenação de área de Química da FAPESP. Fez Pós-doutorado (Ecole Centrale Paris- 1994 e CNET-France Telecom- 1995) trabalhando com vitrocerâmicas transparentes e lasers. Trabalha na área de Química Inorgânica e suas implicações na Ciência de Materiais, Espectroscopia e Ensino de Química. Os projetos em andamento envolvem polímeros naturais (celulose bacteriana e fibroina), híbridos orgânicos-inorgânicos, guias de luz (fibras ópticas e filmes finos), materiais porosos e marcadores luminescentes para Medicina. Orientou 16 teses de doutorado, 25 dissertações de mestrado e supervisionou 18 trabalhos de pós-doutorado. É editor do periódico Eclética Química e membro do corpo editorial dos periódicos Journal of Sol-Gel Science and Technology and Journal of Non-Crystalline Solids. É ainda assessor cientifico das principais agências do país, NSF (Estados Unidos), CNR (Italia) e de vários periódicos científicos. Em 28/04/2015 tem 294 trabalhos publicados com 4995 citações ((h=35 – ISI ) (h= 36 – Scopus) (h= 44 e i10=174 Google Scholar)), e 17 patentes. Foi pesquisador visitante no NIRIM – National Institute for Research in Inorganic Materials – Tsukuba, Japão. Foi Professor visitante na Universidade de Trento na Itália, nas Universidades de Angers e Toulouse na França, Universidade de Aveiro em Portugal e Universidade Federal de Juiz de Fora. 

Sobre a Academia Brasileira de Ciências

A Academia Brasileira de Ciências (ABC), fundada em 1916, é uma entidade independente, não governamental e sem fins lucrativos, que atua como sociedade científica honorífica e contribui para o estudo de temas de primeira importância para a sociedade, visando dar subsídios científicos para a formulação de políticas públicas. Seu foco é o desenvolvimento científico do País, a interação entre os cientistas brasileiros e destes com pesquisadores de outras nações. 
A ABC recebe contribuições de seus membros individuais e corporativos e apoio financeiro de agências governamentais. Com um quadro atual de pouco mais de 700 membros no total, a Academia Brasileira de Ciências é uma das mais antigas associações de cientistas no país e reconhecidamente a mais prestigiosa dessas entidades.

 

Redação

Notícias relacionadas

Mais lidas