InícioNotíciasGeralSucesso e desafios do Museu da Língua Portuguesa em palestra gratuita

Sucesso e desafios do Museu da Língua Portuguesa em palestra gratuita

Objetivo é apresentar a história de sucesso e os desafios enfrentados pelo Museu da Língua Portuguesa ao longo de dez anos

 

Nesta quinta-feira (10 de março), às 14h, Antonio Carlos Sartini, diretor do Museu da Língua Portuguesa, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, retorna a Araraquara para ministrar a palestra  “A Museologia de uma Língua e sua Escrita Expositiva”.

O objetivo é apresentar a história de sucesso e os desafios enfrentados pelo Museu da Língua Portuguesa ao longo de dez anos – Sartini abordará temas variados, do sucesso de público, com de quatro milhões de visitantes, até o trágico incêndio do prédio da Estação da Luz, no último dia 21 de dezembro.

“É através da interatividade e tecnologia, som e imagem, que conseguimos transmitir a infinidade e riqueza da nossa língua viva e dinâmica. É este diferencial de museologia contemporânea, que nos torna um exemplo de instrumento cultural bem-sucedido a ser seguido”, declara o diretor do Museu da Língua Portuguesa.

Para pesquisadores, especialistas, museólogos, educadores, estudantes e público em geral, a palestra, que será realizada no Museu Histórico e Pedagógico Voluntários da Pátria, tem entrada gratuita. Interessados devem chegar antes do horário para garantir vaga – os lugares são limitados.

Ainda dentro da programação, 50 livros sobre língua e literatura portuguesa serão doados para a Biblioteca Municipal de Araraquara. A ação conta com o apoio da Câmara Brasileira do Livro.

​O evento acontece paralelamente à exposição itinerante do Museu da Língua Portuguesa Estação da Língua, em cartaz até o dia 2 de abril, no Palacete das Rosas Paulo A.C. Silva.

A realização é do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura; do IDBrasil Cultura, Educação e Esporte, organização social de cultura que gere o Museu da Língua Portuguesa; e da Arquiprom, proponente e produtora do projeto viabilizado por meio do Ministério da Cultura via Lei de Incentivo Fiscal do Programa da Ação Cultural (Proac) da Secretaria Estadual de Cultura e com patrocínio da Panco e apoio da Tim. A Estação da Língua conta também com o apoio local da Prefeitura do Município de Araraquara.

 

A Estação da Língua

Com seis áreas expositivas distribuídas em mais de 300 metros quadrados, o destaque da mostra é o Mapa dos Falares, que exibe a singularidade do português falado em diferentes regiões do Estado de São Paulo, novidade especialmente dedicada ao público paulista. 

A estrutura de recepção e de acolhimento baseia-se em um conjunto com forte apelo visual, que abriga projeção de breves textos literários especialmente escolhidos para a itinerância. Em um ambiente imersivo, três frases promovem o início dessa viagem pela história da língua portuguesa: “Quem não vê bem uma palavra, não pode ver bem uma alma”, de Fernando Pessoa; “Penetra surdamente no reino das palavras”, Carlos Drummond de Andrade; e “Como é que chama o nome disso”, de Arnaldo Antunes, foram interpretadas pelos atores Paulo Betting, Julia Lemmertz e Deborah Evelyn. Painéis de LED vermelho reproduzem o que está sendo ouvido.

Uma grande escultura de caixas apresenta o Museu da Língua Portuguesa e o público segue para o ‘desembarque’, formado por um painel gráfico com as origens da língua e um vídeo/animação, apresenta as conquistas e a expansão ultramarina de Portugal até o ano de 1500 – quando ocorre o descobrimento do Brasil. Esta seção inclui um terminal multimídia que permite ao visitante escutar os vários sotaques do português pelo mundo.

A terceira área expositiva parte da Linha do Tempo, consagrada no Museu da Língua Portuguesa com a evolução do idioma no Brasil até a atualidade. O visitante segue para terminais com telas sensíveis ao toque que apresentam a relação do português com outros idiomas, como as línguas indígenas e africanas, e também as influências dos imigrantes europeus em solo brasileiro.

O passeio se aproxima do fim num painel em forma de quebra-cabeça que apresenta um vídeo baseado em dez entrevistas especiais. O vídeo permite confrontar e mesmo sugerir um diálogo entre cinco cidades paulistas, ressaltando as particularidades linguísticas de cada região. A parada final destaca em projeções a presença diversificada da língua portuguesa no dia a dia do brasileiro, até mesmo em sonhos, com a apresentação de dois vídeos – Culinária e Danças.

Toda estrutura é transportada de uma cidade a outra em caminhões, pois a Estação da Língua foi projetada de maneira que possa ser desmontada e novamente aberta ao público em outro município em até sete dias.

Em cartaz até o dia 2 de abril, a exposição Estação da Língua faz a sua próxima parada em Pirassununga.

 

Serviços:

Palestra A Museologia de uma Língua e sua Escrita Expositiva

Com Antonio Carlos Sartni, diretor do Museu da Língua Portuguesa

Data: 10 de março, às 14h

Local: Museu Histórico e Pedagógico Voluntários da Pátria (Praça Pedro de Toledo, s/nº – Centro – Araraquara)

Entrada gratuita, por ordem de chegada

Vagas limitadas

 

Notícias relacionadas
- Anúncio -spot_img

Mais lidas