InícioCidadesCidadeInternações pediátricas por síndromes respiratórias crescem em Araraquara

Internações pediátricas por síndromes respiratórias crescem em Araraquara

Para o diretor do Serviço Especial de Saúde (SESA), situação é grave em todo o estado de São Paulo

Vários estados brasileiros registraram nas últimas semanas um aumento nas contaminações pelo vírus sincicial respiratório (VSR), um dos principais causadores de síndromes respiratórias em crianças nos primeiros anos de vida.

Em Araraquara, o vírus também provocou um aumento nas internações pediátricas com casos graves de doenças como pneumonia e bronquiolite. Segundo o médico Walter Figueiredo, do Serviço Especial de Saúde de Araraquara (SESA), a situação na região, assim como em todo o estado de São Paulo, é grave.

Há cerca de dois meses, os setores público e privado de saúde registraram um aumento nas internações de crianças por problemas respiratórios. Para investigar as causas, o SESA acionou o Instituto de Medicina Tropical, que recolheu amostras de cerca de 80 pacientes pediátricos atendidos em hospitais ou nos setores de urgência e emergência, como as Unidades de Pronto Atendimento (UPA’s). O resultado revelou que aproximadamente 60% dos casos correspondiam a infecções pelo vírus sincicial.

Ainda segundo o médico, não há tratamento específico para esses casos. Para prevenção, as recomendações são as mesmas para as demais doenças virais, como a higienização das mãos e uso de máscaras por pacientes com sintomas gripais.

Vírus Sincicial Respiratório

O vírus sincicial respiratório (VSR) é uma das principais causas de infecções das vias respiratórias e pulmões em recém-nascidos e crianças pequenas, e um de muitos vírus que podem causar bronquiolite (infecção dos brônquios, nos pequenos tubos respiratórios dos pulmões).

O vírus respiratório é transmitido de uma criança infectada pelas secreções do nariz ou da boca, por contato direto ou gotículas. O período de maior contágio é nos primeiros dias da infecção. O período de incubação de VSR varia de 2 a 8 dias, normalmente 4-6 dias. Epidemias anuais ocorrem durante o inverno e início da primavera.

A maioria das crianças com infecções respiratórias tem apenas sintomas leves, geralmente semelhantes aos sintomas de um resfriado comum. Em crianças menores de 2 anos, a infecção pode evoluir para sintomas mais comumente encontrados em bronquiolite.

Luis Antônio

Jornalista. Formado em Ciências Sociais e Letras pela Universidade Estadual Paulista (UNESP). Mestrando em Estudos Literários. Apresentador e editor do Jornal da Morada, da Rádio Morada FM 98,1

Luis Antônio
Jornalista. Formado em Ciências Sociais e Letras pela Universidade Estadual Paulista (UNESP). Mestrando em Estudos Literários. Apresentador e editor do Jornal da Morada, da Rádio Morada FM 98,1
Notícias relacionadas

Mais lidas