InícioNotíciasGeralInauguração da Biblioteca Heleieth Saffioti em Araraquara

Inauguração da Biblioteca Heleieth Saffioti em Araraquara

Evento ocorre na Chácara Sapucaia, da Unesp

 

Dia 20 de agosto, às 19 h, será inaugurada, no Centro Cultural Profs. Waldemar e Heleieth Saffiot, Chácara sapucaia, Unesp em Araraquara, a Biblioteca Heleieth Saffioti, localizada na Rua dos Libaneses, 1111, Carmo.

A programação inclui mesa-redonda sobre impactos tendências sobre estudos de gênero e estudos sobre a mulher, com as professora da Faculdade de Ciências e Letras da Unesp em Araraquara, Lucila Scavone e Maria Dolores Aybar Ramírez.

 

Centro Cultural Professor Waldemar Saffioti – CCPWS

O Centro Cultural Professor Waldemar Saffioti – CCPWS – instalado na antiga chácara Sapucaia, conhecida depois como a Chácara Saffioti, é o espaço-berço de Macunaíma e lugar único em Araraquara pelo seu valor histórico e pela riqueza criativa que ali habita. De acordo com os termos de doação do imóvel à Unesp, pela Professora Doutora Heleieth Saffioti, o CCPWS desenvolve projetos educativos e culturais, beneficiando adolescentes e jovens adultos da comunidade, preferencialmente aqueles de 14 a 25 anos de idade. Proposto como CENTRO INTERUNIDADES e vinculado ao Instituto de Química, o CCPWS procura atingir seus objetivos por meio da integração do conhecimento gerado nas Unidades Universitárias do Câmpus de Araraquara – Instituto de Química, Faculdade de Ciências e Letras, Faculdade de Ciências Farmacêuticas e Faculdade de Odontologia – e de outras Unidades da Unesp.

 

Sobre Heleieth Saffioti
Heleieth Iara Bongiovani Saffioti nasceu em Ibirá (SP) em 04 de janeiro de 1934. Graduou-se em Ciências Sociais pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo (USP) em 1960.  Suas primeiras pesquisas sobre a condição feminina datam desta década. Elas foram o material utilizado na construção da sua tese de livre-docente defendida, em 1967, na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Araraquara da Universidade Estadual de São Paulo (UNESP), orientada pelo professor Florestan Fernandes. Este trabalho foi uma sólida contribuição ao estudo da posição da mulher na sociedade, e das representações a que dá lugar. Esta tese foi publicada pela Editora Vozes, em 1976 com o título deA Mulher na Sociedade de Classes ¿ Mito e Realidade. O livro não separa o problema da mulher dos problemas gerais da sociedade, mostrando de forma particular as relações entre a posição da mulher e o capitalismo. Com a análise da condição da mulher no Brasil, este projeto, nas palavras de Antônio Cândido de Mello e Souza no prefácio da edição de 1976, foi qualificado como ambicioso e complexo, mas executado com rara mestria. 

A efervescência do movimento de mulheres nos anos setenta transformaram este livro em um bestseller e a professora Heleieth, então regente da cadeira de Sociologia na Unesp, numa referência nacional para os estudos feministas. Sua trajetória intelectual, ao longo das últimas décadas, como agitadora no meio acadêmico da temática da condição feminina numa perspectiva marxista, levou-a, assim, das salas de aula de Araraquara, onde era professora titular da Unesp, para todo o Brasil, participando de seminários, congressos, orientando dissertações de mestrado e doutorado, tornando-se uma das mais prestigiadas pesquisadoras sobre a questão de gênero no Brasil. Assim, Heleieth tornou-se pesquisadora do Conselho Nacional de Pesquisas (CNPq) junto ao Departamento de Psicologia da Universidade de São Paulo (USP), professora participante da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e professora visitante na Faculdade Serviço Social da UFRJ. Em 1995, Heleieth foi indicada ao Prêmio Nobel da Paz, juntamente com outras 51 brasileiras. 

Em 2012, a Câmara Municipal de São Paulo, por iniciativa da vereadora Juliana Cardoso (PT), criou o Prêmio Heleieth Saffioti, lançado no dia 19 de março de 2013, este Prêmio destina-se às mulheres e entidades de classe que tenham se destacado no combate a discriminação social, sexual e racial. Casou-se com o químico Waldemar Saffioti e teve um filho. Faleceu no dia 13 dezembro de 2010, na cidade de São Paulo (SP).

Principais Obras: Profissionalização feminina: professoras primárias e operárias(1969); A Mulher na Sociedade de Classe: Mito e Realidade, Petrópolis, Editora Vozes, 1976; Emprego Doméstico e Capitalismo, Petrópolis, Editora Vozes, 1978; Do artesanal ao industrial: a exploração da mulher(1981); O fardo das trabalhadoras rurais (1983); Mulher Brasileira: Opressão e Exploração, Rio de Janeiro, Editora Achimé, 1984; Poder do Macho, Editora Moderna, 1987; Mulher Brasileira é Assim(1994); Violência de gênero: poder e impotência(1995). Publicou ainda diversos artigos em periódicos nacionais e estrangeiros.

UnAN – Unesp Agência de Notícias

 

Notícias relacionadas
- Anúncio -spot_img

Mais lidas